Agende sua consulta ou avaliação estética (gratuita)

Contato

Telefone:  (21) 2437-0941

whatsapp:  (21) 9703-1343

email:  dracarolinagasperin@gmail.com

Os testes in vivo representam uma ferramenta diagnóstica auxiliar importante em alergia. A limitação principal dos testes alérgicos são os resultados falso-positivos ou falso negativos e sua interpretação inadequada. Um teste alérgico positivo não indica necessariamente a presença de doença alérgica, do mesmo modo que testes negativos não excluem a etiologia alérgica.

 

Existem diversos testes alérgicos, cada um com indicações próprias. Pode- se citar: 1. Teste de puntura; 2. Teste intradérmico; 3. Teste de contato de leitura tardia; 4. Teste de contato de leitura imediata; 5. Fototeste de contato; 6. Teste aberto e aplicação repetida; 7. Teste de contato atópico; 8. Testes de provocação com medicamentos; 9. Testes de provocação com alimentos; 10. Provocação nasal; 11. Broncoprovocação específica. 

 

 

▪ TESTE DE PUNTURA OU PRICK TEST

O teste de puntura em conjunto com a história clínica é o passo mais importante no diagnóstico das alergias com suspeita de mecanismo IgE mediado, a fim de se identificar os alérgenos envolvidos. Este teste é capaz de detectar sensibilidade a inalantes como, por exemplo: ácaros, gramíneas, fungos, epitélio de cão, epitélio de gato, penas e baratas. Pode detectar também sensibilidade a alimentos como: leite e frações, gema e clara de ovo, trigo, milho, amendoim, glúten, cacau, camarão, peixe, carne bovina, carne suína e carne de frango.

 

O teste pode ser realizado em qualquer idade, desde que haja forte evidência clínica. Para realização do teste é importante que sejam utilizados extratos padronizados e puntores adequados, além de haver profissionais habilitados. É um teste de leitura rápida, em que o resultado sai no mesmo dia. O teste é realizado na região volar do antebraço (a parte que não costuma ter pêlo), onde é pingada uma gota de controle negativo, uma gota de controle positivo (histamina) e gotas dos extratos suspeitos.

 

É feita uma pequena puntura na pele nos locais das gotas e aguarda-se 15 minutos para a leitura. A sua utilidade consiste em identificar o fator desencadeante da alergia, podendo-se dessa forma fazer uma orientação ambiental para o paciente. O teste também é importante para formulação de imunoterapia específica para o paciente, caso seja essa a terapêutica escolhida. 

▪ TESTE DE CONTATO OU PATCH TEST 

O teste alérgico de contato, ou patch test é a forma de identificar e ter o diagnóstico de alergias com suspeita de mecanismo tardio, mediado por células; por exemplo, a dermatite de contato. O procedimento é feito da seguinte maneira: cada substância é aplicada direto na pele, e depois ocluída com um curativo. Em seguida, o paciente volta a sua rotina normal, mas com cuidado para não expor o local a água e sol. Depois são feitas duas leituras, uma inicial após 48h e outra após 96 horas. Geralmente, o exame é composto por 30 substâncias padronizadas, mas pode- se testar substâncias específicas.

▪ TESTES DE PROVOCAÇÃO

Os testes de provocação consistem na administração controlada de um agente (alimento, medicamento ou outros agente), para estabelecer o diagnóstico de reações de hipersensibilidade. Devem ser realizados sempre sob a supervisão de médico treinado, em ambiente adequado, de preferência hospitalar, e com material de emergência disponível para o tratamento de uma possível anafilaxia. 

TESTES ALÉRGICOS